O que é Motivação?

É desconfortável, para não dizer que é chato, escrever sobre algo com a sensação de que TODOS sabem exatamente do que se trata. Fica-se desamparado, fragilizado, pronto para ser alvejado por críticas gratuitas de falta de originalidade. Sob este ângulo, o desafio fica maior ainda. O verbo raiz da palavra dá a idéia de um significado como: “ter motivo para agir, para avançar”. Entretanto, o termo é empregado atualmente com uma amplitude muito maior. Motivação é tema concorrido para abertura de atividades, início de exercícios profissionais, começo de mais um ano de batalhas.
Muitas empresas acreditam que começar uma empreitada exige uma dose extra de entusiasmo, de garra, de adrenalina, e contratam especialistas de fora de seus quadros para esta tarefa. É a famosa injeção de ânimo. Afinal, não nos esqueçamos que, geralmente, reinício de atividades costuma coincidir com fim de descanso, ponto final de férias e falta de preparo físico para os próximos 90 minutos.
Energia extra costuma mesmo ser bastante bem-vinda. Novas metas, novos patamares, novas conquistas, realização de sonhos costumam ser pontos recorrentes em palestras de motivação, quando o alvo é o aspecto profissional da coisa. Mas, por que não sair da rotina e explorar a busca da motivação olhando para dentro da gente? Por exemplo: perder de verdade aqueles quilinhos extras que teimam em permanecer na balança; por em execução aquele plano anual de poupar o suficiente para trocar de carro ou de passar aquelas férias no exterior.
Exemplos não faltam para se obter imagens capazes de exercer o poder da motivação. O grande, o enorme problema é a perseverança em permanecer fiel ao projeto motivacional após o encerramento da palestra e ao longo do período pré estabelecido.  Uma das maneiras mais fáceis e funcionais é a velha e sábia mania de escrever detalhadamente cada um dos passos e adquirir o vício de olhar para eles diariamente. Sem escrever e sem a iniciativa de tê-los ao alcance dos olhos, o ócio congênito do ser humano acaba por nos levar a outros caminhos mais fáceis.  Claro, pois seguir qualquer plano ao pé da letra exige uma disciplina e uma força de vontade só conhecidas por quem decidiu viver a experiência. Então é isto.
Se motivação é o motivo para a ação, vamos agir. Mãos à obra. Afinal, ninguém se auto propõe martírios inalcançáveis e sempre há belas recompensas no final do caminho. Vamos chegar lá. Vamos ganhar o pote de ouro. Vamos ser felizes. Vamos ter sucesso. Afinal de contas, a gente merece. Todos merecemos!

www.familyhealthguide.co.uk

É desconfortável, para não dizer que é chato, escrever sobre algo com a sensação de que TODOS sabem exatamente do que se trata. Fica-se desamparado, fragilizado, pronto para ser alvejado por críticas gratuitas de falta de originalidade. Sob este ângulo, o desafio fica maior ainda. O verbo raiz da palavra dá a idéia de um significado como: “ter motivo para agir, para avançar”. Entretanto, o termo é empregado atualmente com uma amplitude muito maior. Motivação é tema concorrido para abertura de atividades, início de exercícios profissionais, começo de mais um ano de batalhas.

Muitas empresas acreditam que começar uma empreitada exige uma dose extra de entusiasmo, de garra, de adrenalina, e contratam especialistas de fora de seus quadros para esta tarefa. É a famosa injeção de ânimo. Afinal, não nos esqueçamos que, geralmente, reinício de atividades costuma coincidir com fim de descanso, ponto final de férias e falta de preparo físico para os próximos 90 minutos.

Energia extra costuma mesmo ser bastante bem-vinda. Novas metas, novos patamares, novas conquistas, realização de sonhos costumam ser pontos recorrentes em palestras de motivação, quando o alvo é o aspecto profissional da coisa. Mas, por que não sair da rotina e explorar a busca da motivação olhando para dentro da gente? Por exemplo: perder de verdade aqueles quilinhos extras que teimam em permanecer na balança; por em execução aquele plano anual de poupar o suficiente para trocar de carro ou de passar aquelas férias no exterior.

Exemplos não faltam para se obter imagens capazes de exercer o poder da motivação. O grande, o enorme problema é a perseverança em permanecer fiel ao projeto motivacional após o encerramento da palestra e ao longo do período pré estabelecido.  Uma das maneiras mais fáceis e funcionais é a velha e sábia mania de escrever detalhadamente cada um dos passos e adquirir o vício de olhar para eles diariamente. Sem escrever e sem a iniciativa de tê-los ao alcance dos olhos, o ócio congênito do ser humano acaba por nos levar a outros caminhos mais fáceis.  Claro, pois seguir qualquer plano ao pé da letra exige uma disciplina e uma força de vontade só conhecidas por quem decidiu viver a experiência. Então é isto.

Se motivação é o motivo para a ação, vamos agir. Mãos à obra. Afinal, ninguém se auto propõe martírios inalcançáveis e sempre há belas recompensas no final do caminho. Vamos chegar lá. Vamos ganhar o pote de ouro. Vamos ser felizes. Vamos ter sucesso. Afinal de contas, a gente merece. Todos merecemos!

Foto: Family Health Guide

6 comentários sobre “O que é Motivação?”

  1. Motivação, um fenômeno ainda em estado préparadigmático……
    Mas, podemos assegurar que, do ponto de vista das teorias psicológicas mais consagradas, encontramos unânimidade na afirmação: motivação se prescreve por um comportamento autogovernado/independente, persistente e sempre voltado para objetivos bem específicos. Portanto, muito diferente de quaisquer ações triviais e cotidianas – aquelas condicionadas/movimentadas pela força dos estímulos do meio ambiente ou fruto dos programas de reforçamento.
    A conduta motivada se manifesta independente dos eventos do meio, sendo que as atuações reforçadas/condicionadas, só ocorrem enquanto houver programas de fortalecimento.
    A motivação está vinculada a ações.Por isso que desejos, força de vontade, motivos, por mais prementes que sejam não garantem a tão sonhada motivação. Que bom seria se a motivação derivasse da magnitude dos motivos!
    Mas, a realidade é outra. A motivação guarda outras implicações.
    Motivação extrínseca? como é possível essa denominação para o que não é considerado como a verdadeira motivação?
    Motivação intrínseca? O que exatamente vem a ser isso? qual a natureza dessa força?
    Será possível trasladar a mecanicidade corrente das necessidades orgânicas para os motivos nitidamente de ordem social?
    Claro que não.
    A motivação deve ser revista!
    Obrigada. Sucesso!
    Angela Paes!

    1. Prezada Ângela Paes
      Agradeço seu comentário bem fundamentado mas meu pensamento diverge alguns poucos graus desta sua ótica.
      Motivação é algo bem mais simples. O nome já sugere sua melhor definição: é o motivo que leva à ação, seja de que natureza for.
      Não se trata, definivamente, de magnitude de motivos mas, pura e simplesmente de motivos. Apenas motivos.
      A magnitude fica por conta da ação a ser desenvolvida para a melhor solução do problema a ser resolvido.
      Sim, pois é este o enfoque principal da motivação: a explosão da energia necessária para se encarar um desafio.
      Muitas vezes, um detalhe até desapercebido por alguns pode ser a mola propulsora para o desenvolvimento da ação motivadora de alguém,
      o que desmistifica a tese da magnitude do motivo versus a magnitude da ação.
      Gostei muito de sua participaçãp e espero, sinceramente, que compareça mais vezes para trocarmos mais idéias e experiências.
      Seja bem-vinda.

  2. Bom dia Cezar!
    Bem, ganhei meu dia devido aos seus excelentes comentários. Adorei. Muito bom!
    Também concordo com vc: a motivação, contrariando a colocação de Vroom, não depende da força de nenhum motivo. É exatamente isso que tenho buscado mostrar as equipes com as quais trabalho.
    Cezar, eu digo que a motivação é um estado, digo, especial, porque ainda enigmático. E quer saber? nos últimos anos a psicologia muito negligenciou os estudos e pesquisas sobre motivação. Aí, quando adentramos na literatura mais especializada, tudo o que encontramos são erros crassos, ideias redundantes, raciocínios contraditórios e declinantes,etc.
    E mais, você fez uma observação muito sutil e extremamente relevante e, pelo que tenho lido, nem pesquisadores da área ainda perceberam:”muitas vezes um detalhe até desapercebido por alguns pode ser a mola propulsora….”. Perfeito!
    Só mais um ponto a colocar: gestores esquecem que trabalhos muito bem feitos com a utilização de gratificações materiais e reforços sociais, tais como reconhecimento, orientação, apoio, etc., podem contribuir fortemente para um aumento significativo da produtividade.Já presenciei equipes tão eficazmente condicionadas que mal consegui pereceber a diferença no grupo entre os motivados e os demais condicionados.

    Sucesso para você e muito obrigada pelos seus comentários.
    Abraços fraternos da Angela Paes!

  3. Olá Cezão, não conhecia ainda seu blog, vou colocar em meus favoritos. Parabéns.
    Bom, vou dar uma visão de MOTIVo para ACÃO do ponto de vista de um leigo, mas apaixonado pelo assunto.
    Fico pensando nos Consultores Motivadores que são convidados por organizações para palestrar e incutir Motivação nas pessoas com o propósito de prosperar seus empreendimentos e alcançar os tão almejados objetivos estratégicos, e que pouco tempo depois descobrem que suas organizações pouco ou nada avançaram em direção aos tais objetivos. Não quero aqui dizer que não acredito em motivação, mas sim dizer que nem todos são agraciados com ela.
    Para embasar meu pensamento quero colocar aqui uma história que li na Bíblia (Num. 13 e 14) que fala de 12 espias escolhidos dentre o povo de Israel que saíram para investigar a terra de Canaã que Deus lhes prometera dar. De acordo com o texto, depois de investigar toda a terra, seus frutos e habitantes eles voltaram a dar o relatório ao povo, a terra era maravilhosa e seus frutos abundantes, mas surpresa das surpresas, mesmo depois de tantos milagres vivenciados por eles em sua peregrinação do deserto 10 dos 12 espias sucumbiram e disseram que aquela terra era terra que consumia seus habitantes e que aos seus olhos eram como gafanhotos perante aos que habitavam a terra. Mas os outros dois espias estavam altamente motivados e disseram que, apesar das circunstancias, se eles avançassem certamente herdariam a terra.
    Mesmo que para muitos isso pareça um conto, não seria a nossa realidade atual? Com o advento da internet e a velocidade da informação o mundo começou a girar mais rápido e gigantes aparentemente intransponíveis aparecem ao nosso redor a todo momento. Em questão de segundos um acontecimento gira o mundo. Veja que o segundo avião que atingiu as torres gêmeas foi presenciado quase em tempo real pelo mundo inteiro, empresas nascem aos milhares, mas poucas sobrevivem a 2º e 3º geração, a concorrência se multiplicou e os produtos chineses tomam conta do mercado. Daí a motivação passou a ser imprescindível para o sucesso, pois é o motor principal dos empreendedores, mas esta tem que vir de dentro e não de fora, a motivação não tem que ser sentida, ela tem que ser escolhida e tem que ser um estilo de vida, quase uma religião, e concordo com a Angela Paes que diz que “nem todos garantem a tal sonhada motivação”, mas os que a encontram tem a alegria de uma vida melhor. Concordo com Maslow, Herzberg, McClelland e outros que em seus tempo criaram teorias fundamentadas nas informações que tinham disponíveis, mas penso que isso vai muito mais além. Motivação vem de berço, de família, de amigos, de boa educação, de bons referenciais, etc.
    Para terminar, penso que a motivação é nata para alguns, mas pode ser cultivada através de discipulado, precisamos de bons mestres, que acreditem que temos potencial e invistam seu tempo para nos moldar e motivar. Assim quem sabe, se nos espelharmos neles teremos a chance de mudar o mundo ou como diz Daniel Godri: “Alcançar o Topo”.

    1. Grande amigo David
      Grato pelo comentário e pelo incentivo.
      A propósito de seu posicionamento, apenas gostaria de acrescentar um detalhe dos mais importantes. É preciso entender que a palavra MOTIVAÇÃO tem adquirido formato e dimensão de uma panacéia universal, algo que teria o poder de resolver todo e qualquer problema e entretanto não é essa a realidade. Vejamos que, por mais dura que possa ser a comparação, uma das maiores motivações que existem ainda é o medo. O medo da fome, da miséria, do desemprego, do insucesso. Nosso objetivo em trazer este tema à baila é apenas o de enfocar os aspectos positivos que podem surgir dele. Encaramos motivação como uma energia extra que pode utilizada por quem se dedica a buscar a realização de algum sonho. Já vivemos cercados de negatividades e precisamos resgatar a força interna que temos conosco. Se mais um começar a pensar que pode, que consegue, que é capaz, será mais um grão de energia positiva vivendo nesse universo de negatividade. De grão em grão poderemos fazer crescer esta força a dimensões inimagináveis. Esta é a minha motivação. Sem dogmas, sem correntes, sem limites. Motivar, para mim, é ajudar alguém a acreditar. Acreditar que pode alcançar um patamar mais confortável para viver. Acreditar que pode vencer. Acreditar que pode ser feliz. Não tenho me preocupado se meu pensamento está mais ou menos engajado nas doutrinas dos grandes pensadores modernos. Motivação, afinal, não depende de regras. Depende apenas de atitudes.

Deixe uma resposta