Amando aquilo que se faz fica mais fácil

patch

Já dizem os eternos enamorados que o amor é a razão maior de tudo e, quando dizem isto, o fazem com a maior propriedade. Estar fazendo algo de que se goste é uma das mais interessantes formas de atingir o estado de felicidade.

Observem que as pessoas que fazem sucesso na música, adoram música. As que fazem sucesso na pintura, adoram pintar, reproduzir seus sentimentos através dos traços em uma tela. Escritores adoram escrever.

Pelo amor de Deus, não me apareçam com as indefectíveis exceções que além de confirmar as regras, só servem para tumultuar linhas de raciocínio. O outro lado da moeda é o tamanho do sacrifício, da dificuldade em se fazer algo de que não se goste, como um cidadão urbano viver na roça ou vice-versa.

Acreditar nesta máxima me faz sempre dar a mesma resposta a cada aluno que vem se aconselhar sobre o melhor curso a fazer e olhe que são muitos a cada novo início de temporada letiva. Chegam na tentativa de obter uma luz sobre o futuro em busca do sucesso ao final do período acadêmico e, muitas vezes se decepcionam quando digo que a resposta à sua pergunta está dentro dele mesmo.

Deve analisar os cursos que se oferecem e escolher aquele que lhe cause maior sensação de paixão, de atração, de amor declarado. Argumento sobre o engano que se comete ao escolher o curso em função de maior ou menor demanda no mercado de trabalho, der maior ou menor tamanho de salário. Essas necessidades de mão-de-obra são efêmeras e mudam a cada momento.

O fato de o mercado estar necessitando de determinado tipo de profissional não garante que, ao final do curso a necessidade ainda exista. Cursar uma faculdade, se habilitar em uma profissão pensando apenas na parte do sucesso financeiro pode significar cair numa das mais cruéis armadilhas da existência: trabalhar pelo resto da vida em algo que não causa paixão, que não oferece generosas doses de felicidade e acaba por se constituir em uma verdadeira tragédia humana.

Resultado financeiro deve ser encarado como conseqüência natural do exercício de algo que se goste de fazer, pois é facilmente compreensível que quem faz o que ama, o faz com muito mais esmero, mais capricho e o resultado é sempre algo de muito maior qualidade, seja o que for, produto ou serviço.

Imagem: Flickr Antisubliminal

Um comentário sobre “Amando aquilo que se faz fica mais fácil”

Deixe uma resposta