QUANDO E COMO DIZER…NÃO

  •     Certifique-se de que entendeu a pergunta.                                                                                                                           Antes de emitir qualquer  resposta a qualquer pergunta, tenha certeza de que entendeu perfeitamente o que lhe foi perguntado.  Não negue e nem confirme o que não tiver plena certeza.
  •    Encontre uma forma polida de responder.                                                                                                                        Sempre é possível ser firme sem ser indelicado.  Polidez cabe sempre em qualquer lugar.
  •    Seja breve.  Não enrole.                                                                                                                                                                Respostas e opiniões devem ser claras, diretas e concisas.  Enrolar dá ao interlocutor uma eventual impressão de sua fraqueza. Quem tem certeza do que quer ou de onde quer chagar, vai direto ao ponto.
  •     O tempo é precioso para ambos.                                                                                                                                                        Não parta do falso princípio de que seu interlocutor estará permanentemente disposto a ouvi-lo durante todo o tempo que você quiser. Procure resolver tudo no menor tempo possível
  •    Use palavras amenas.                                                                                                                                                                       Palavras ásperas só servem para aumentar a temperatura emocional. Em qualquer discussão, sempre deve haver a preocupação de evitar o aumento da temperatura emocional.  Palavras amenas podem dar a mesma mensagem sem causar comoção e resistência.
  •    Seja simpático sem exageros.  Sempre se pode ser simpático sem ser melequento. Simpatia não significa condescendência. Sempre é possível apresentar uma argumentação sem tripudiar, menosprezar ou subestimar o interlocutor.
  •    Não use palavras de duplo sentido.                                                                                                                                               Toda comunicação deve ser clara. O interlocutor não pode ter dúvidas daquilo que está ouvindo. Sim e Não, não podem significar Talvez.
  •    Evite evasivas.                                                                                                                                                                                                Não fuja da raia. Não adie desnecessariamente o motivo da discussão. Seja firme nas argumentações que defende.
  •    Não minta jamais.                                                                                                                                                                                          Ser verdadeiro torna mais fácil contra argumentar em qualquer situação. Mentiras fragilizam a posição de quem as emite. Quem mente sempre corre o risco de se esquecer de algum “detalhe” de sua mentira e ser pego em contradição.
  •    Não crie “fatos” para justificar a negativa.                                                                                                                                    Ao estabelecer uma negativa, faça-o de maneira segura e bem alicerçada. Criar “fatos” pode adquirir formato de mentira e falta de consistência na argumentação.
  •    Não parta do princípio que algo é impossível.                                                                                                               Acredite naquilo que defende. Se partir do princípio que sua causa é impossível, estará jogando no time do adversário e trabalhando contra seus próprios interesses
  •    Busque alternativas.                                                                                                                                                                    Raramente um problema apresenta solução única. Ao se apresentar para um debate, leve consigo alternativas de solução e esteja aberto a alternativas diferentes que possam ser apresentadas.  Analise friamente e sem partidarismo.
  • ·       Focalize os pontos positivos.

Mantenha-se sempre focado nos aspectos que sejam de seu maior interesse. Focalizar os pontos positivos não significa ignorar os pontos negativos. Oriente sua argumentação no sentido dos seus pontos positivos.

  • Aconselhe-se com os mais experientes.

Humildade é uma virtude sempre bem vinda e sempre haverá alguém em quem podemos confiar para nos orientar. Não se sinta dono absoluto da verdade. Apenas observe que experiência não significa necessariamente mais idade. Um ancião de 100 anos que sempre tenha vivido na roça terá, evidentemente, menos experiência de vida urbana do que qualquer adolescente citadino.

 

  • ·        Em último caso, diga mesmo um NÃO, e pronto.

       Quando não houver outra alternativa, negue com firmeza.  Qualquer NÃO deve significar NÃO. Caso saiba que não vai conseguir manter o seu NÃO, evite pronunciá-lo mas se disser, mantenha-o a qualquer custo e inflexivelmente.

Um comentário sobre “QUANDO E COMO DIZER…NÃO”

Deixe uma resposta